Em Espanha Zapatero deu a boa notícia de que o recuo do PIB será 0,1 ou 0,2% menor do que se previa. A Alemanha cresceu 3,6% em 2010, a taxa mais alta desde 1990. Já no Reino Unido as notícias são más: a recessão voltou. A queda de 0,5% no quarto trimestre não era esperada.

A neve que efetivamente arrefeceu o consumo natalício, quando os comerciantes esperavam uma das melhores épocas dos últimos anos, é apontada como responsável pelo trambolhão. Mas mesmo sem ela dificilmente a economia teria crescido, avisa a entidade britânica de estatísticas. Cameron e Nick Clegg vão mesmo ter de sujeitar o Reino à mais dura cura de emagrecimento dos últimos 30 anos.

O problema é que cortar na despesa não produz necessariamente resultados, como se tem visto noutras latitudes. E as fragilidades da economia britânica já tinham assomado mesmo antes do plano de austeridade. Mau tempo no canal.

 

Fonte:
Negócios online