Terceira no atual governo, medida do Banco Central (BC) vai usar nesta sexta-feira US$ 1 bilhão para tentar reduzir a especulação com o dólar e segurar a alta do real. Conforme anúncio do início da noite de ontem, a instituição voltará a intervir no mercado futuro de câmbio, do qual estava afastada desde 2009.


Desde a última intervenção desse tipo, em 5 de maio de 2009, o BC vinha comprando dólares apenas no mercado à vista, que movimenta o equivalente a 20% do que é negociado no mercado futuro, responsável pela maior parte das transações.

O anúncio foi feito depois de comunicada a aprovação do Conselho Monetário Nacional (CMN) de um voto que autoriza o BC a fazer operações de swap cambial reverso. Concebidos para proteger de riscos, esses contratos envolvem troca (swap) de variações de indicadores financeiros. Em data determinada, a parte que tiver ganho recebe o valor correspondente. O BC oferece juros e recebe a variação do câmbio. Se o dólar cai, o investidor ganha tanto com o juro quanto com a variação da moeda. A operação equivale a uma compra de dólares no mercado futuro. Assegurando esse ganho, o BC quer desestimular apostas em alta maior do real. O BC anunciou ter verificado demanda para esse tipo de contrato em pesquisa com bancos. A aprovação do CMN foi um pedido do BC para dar segurança às operações, já que o Tribunal de Contas da União (TCU) havia contestado a atuação.

 

Fonte:
Zero Hora