A gigante da produção de alumínio Alcoa anunciou nesta segunda-feira que irá se dividir em duas companhias no próximo ano, ambas com ações negociadas, no mais recente caso de uma série de companhias que se dividem para buscar impulsionar os lucros. As ações da Alcoa, que já caíram 43% neste ano, avançavam 5,51%, no pré-mercado em Nova York, às 10h20 (de Brasília). A Alcoa disse que uma das empresas, que manterá o nome original, incluirá seus negócios de mineração de bauxita, de refino de alumina e de produção de alumínio. Essa companhia teria obtido receita de US$ 13,2 bilhões nos 12 meses até 30 de junho. A segunda empresa incluirá os negócios de produtos globais, produtos e soluções de engenharia, além do setor de soluções para transporte e construção. Neste caso, a companhia teria tido receita de US$ 14,5 bilhões nos 12 meses até 30 de junho.

A Alcoa disse que uma boa fatia da receita dessa companhia virá da indústria aeroespacial, através da liderança de mercado em áreas como motores de aeronaves e turbinas, entre outros itens. O executivo-chefe Klaus Kleinfield liderará a segunda companhia, de maior valor agregado, como chairman e CEO, além de comandar a outra empresa inicialmente. A decisão é tomada no momento em que a companhia luta com o preço do alumínio, enquanto a China inunda os mercados globais com aço, alumínio e outros metais industriais. A iniciativa da divisão da empresa deve estar concluída no segundo semestre do próximo ano. Os acionistas da Alcoa serão os detentores de todos os papéis em circulação de ambas as empresas. A Alcoa espera que o acordo seja qualificado como uma transação livre de impostos para os acionistas. 

 

Fonte: Exame.abril.com.br