Toscana, Itália. Este é o cenário de grandes paisagens, grandes filmes e claro, grandes vinhos. Podemos falar dos Brunellos, dos Barolos, dos Nobile de Montepulciano e dos Chiantis. Mas também podemos - e devemos - falar dos Supertoscanos. E quando se fala em Supertoscanos, alguns nos vem automaticamente à cabeca: Solaia, Sassicaia, Tignanello e claro, Ornelaia, entre outros. E é exatamente deste último, um dos mais reconhecidos vinhos italianos, que vou falar um pouco.

Na verdade, antes da grande estrela, que foi apresentada pela diretora de exportações da vinícola, Giuliana Cavazza e por seus importadores, a conhecida rede Grand Cru, vamos passar pelos outros vinhos da vinícola, que está localizada na região do Bolgheri, perto do litoral toscano. Começando pelo lançamento da vinícola, um branco muito fresco e equilibrado, o POGGIO ALLE GAZZE DELL'ORNELAIA IGT 2013. Um vinho feito majoritariamente com Sauvignon Blanc (69%) e o restante de Viognier (12%), Vermentino (12%) e Verdicchio (7%). Muito fresco, com o Sauvignon bem marcado e elegante, fugindo dos Sauvignon Blancs que estamos acostumados principalmente do Chile, com aqueles excessos de verde.

Depois o primeiro tinto, o LE VOLTE BOLGHERI DOC 2012. Sempre gostei muito deste vinho, pois mesmo sendo o vinho de entrada da vinícola, ele já mostra muito o perfil dos vinhos tintos da região. Usando a principal uva da vinícola, a Merlot (50%), 30% Sangiovese, a uva rainha da Toscana e 20% Cabernet Sauvignon, ele é um vinho novo, mas redondo e pronto para beber. Um vinho que consegue ser fácil de beber e ao mesmo tempo tem muita complexidade. Frutas vermelhas, pimenta, ervas, mentolado e uma madeira usada sem excessos (10 meses de barricas de terceiro e quarto uso). Um vinho com bom final, que vai muito bem com uma macarronada por exemplo. R$ 215,00.

Depois temos o LE SERRE NUOVE IGT 2012. Outro vinho com base de de Merlot (52%) e complementado com 28% de Cabernet Sauvignon, 12% Petit Verdot e 8% Cabernet Franc. Se tínhamos complexidade no primeiro tinto, aqui a coisa fica mais séria. Taninos ainda novos, mas deliciosos, um vinho encorpado, com acidez bem marcada e na medida certa e uma profusão de aromas e sabor: Aqui encontra-se de tudo... Madeira, frutas vermelhas, frutas pretas, e até mesmo um mineral, talvez pela proximidade do oceano de seus vinhedos novos. Um vinhaço! R$ 501,00.

Por último, o grande. Por último, o ícone. Por último um dos vinhos italianos mais reconhecidos no mundo todo, o ORNELAIA BOLGHERI DOC SUPERIORE 2012. Um vinho que ainda está muito novo e tem um potencial de guarda enorme, pra esquecer de vista mesmo!! Ele é um Serre Nuove intensamente dobrado! Aqui, sente-se muito do se sente no vinho anterior, com mais destaque para as frutas e a madeira e menos herbáceo, provavelmente fruto da ausência da Petit Verdot. Mas em compensação, a Cabernet Franc aqui, que tem 10%, se mostra ainda mais. Um vinhaço, ao quadrado, mas que pra ser melhor entendido, sugiro beber daqui a pelo menos uns 5 anos. Mesmo sabendo que ele vai muito mais longe que isso. R$ 2.000,00.

Não é à toa a fama desta vinicola. Basta uma taça de qualquer um destes vinhos para entender porque Ornelaia é Ornelaia.

Fonte: entretenimento.r7.com