SÃO PAULO - A Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) divulgou nesta terça-feira (15) um novo balanço sobre a taxa média de juros cobrada aos consumidores brasileiros. De acordo com o levantamento, a taxa geral para pessoa física subiu para 6,03% ao mês em junho. Em maio, o indicador apontava taxa de 5,98% ao mês.

Segundo a Anefac, esta é a 13ª alta seguida e a maior taxa registrada desde julho de 2012. Em nota, o diretor da associação apontou o cenário econômico nacional, a piora dos índices de inflação, o aumento da inadimplência e o fraco crescimento econômico do país como responsáveis pela alta da taxa.

Crédito

Das seis linhas de crédito pesquisadas pela Anefac, cinco registraram aumento na passagem de maio para junho. Apenas o juro cobrado no financiamento de automóveis teve leve queda, de 1,8% para 1,78% ao mês.

Houve alta nas taxas médias de juros do comércio, de 4,62% para 4,64% ao mês, do empréstimo pessoal em bancos, de 3,41% para 3,45% ao mês, e na modalidade de empréstimo pessoal com financeiras, de 7,29% para 7,35% ao mês.

A taxa média de juros do cheque especial também sofreu aumento e passou de 8,22% para 8,28% ao mês. É o maior patamar desde março de 2012. Para o cartão de crédito, a taxa média passou de 10,52% para 10,7% ao mês.

Juros empresariais

A taxa média de juros cobrada para pessoas jurídicas nas linhas de crédito subiu de 3,41% em maio para 3,44% ao mês em junho.

 

Fonte:
DCI