O mercado de imóveis novos não obteve bons resultados em outubro. Durante o período, houve redução de 35,1% no volume de vendas na Região Metropolitana quando comparado com setembro - caindo de 4.440 unidades para 2.882. Em relação a outubro de 2010 a queda foi ainda maior: de 46,3%. É o que aponta o levantamento mensal realizado pelo Sindicato da Habitação de São Paulo.

O Grande ABC acompanhou o cenário. Segundo o proprietário de imobiliária de São Bernardo Milton Casari, a redução no número de imóveis vendidos caiu entre 25% e 30%. "Foi um mês onde a economia mundial estava muito instável. As indústrias, principalmente, reduziram drasticamente a produção. E como a região é basicamente industrial, as pessoas optaram por não realizar investimentos altos."

No entanto, segundo ele, nesses dois últimos meses, as vendas já voltaram a crescer. "Imóveis na faixa entre R$ 180 mil a R$ 350 mil têm tido alta demanda. Além disso, a infraestrutura da região melhorou muito, basta ver a expansão e inauguração dos shoppings instalados aqui. Isso atrai moradores."

Empresário do setor imobiliário em São Caetano, Aparecido Viana, atribui à queda de comercializações de imóveis novos em outubro à redução de lançamentos por parte das incorporadoras. "Muitas foram investir em cidades do Interior, já que faltam terrenos por aqui. Mesmo assim, São Caetano e Santo André mantiveram o nível de vendas."

Para ele, apesar de ser menor o índice de vendas no período, o Grande ABC obteve desempenho superior ao da Capital. "Os bens comercializados na região são mais baratos do que em São Paulo e possuem a mesma qualidade e infraestrutura. Estamos em vantagem."

CAPITAL - O mercado de imóveis novos no município paulista contabilizou a venda de 2.017 unidades em outubro, com variação negativa de 37,7% em relação às 3.237 unidades comercializadas em setembro. Diante do volume negociado no mesmo mês de 2010, a queda foi de 33,5%, quando foram vendidas 3.034 unidades.

Para o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci, os resultados refletem mudanças no mercado imobiliário. "Voltaram a ser produzidos imóveis para o segmento tradicional, que abrange a classe média alta e o exigente mercado emergente, o que reduz a oferta de unidades por empreendimento."

 

DORMITÓRIOS - A pesquisa Secovi-SP do mercado imobiliário de outubro mostrou que 54,1% das vendas na Capital foram do segmento de três dormitórios. Imóveis de dois quartos ocuparam a segunda colocação, com 29,4% do total vendido ou 593 unidades. No terceiro trimestre, o segmento teve 56% de participação nas vendas.

De acordo com o levantamento, o mercado de dois quartos teve forte diversificação de produtos econômicos. Os imóveis de três dormitórios se caracterizaram por serem construídos em bairros tradicionais.

O índice de Vendas Sobre Oferta ficou em 11,9% em outubro, segundo cálculo do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP. Em termos comparativos, vale lembrar que o VSO foi de 18,7% em setembro e de 23,5% em outubro de 2010.

LANÇAMENTOS - Dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio indicam 3.215 unidades disponibilizadas em outubro na Capital, contra 2.739 unidades no mês anterior. Em relação ao mesmo mês de 2010, a queda foi de 39,4%.

 

Fonte:
Diàrio do Grande Abc