13 Dez (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff descartou nesta terça-feira a possibilidade de o Brasil enfrentar problemas de crédito em meio às turbulências externas, e fez novo apelo aos brasileiros para que mantenham o consumo diante de uma economia enfraquecida.

O pedido de Dilma, recorrente nas últimas semanas, ocorre em meio a sinais de desaceleração da economia brasileira nos últimos meses. Por isso, o governo tem tomado medidas para estimular a atividade, como a redução de impostos para produtos da linha branca e cortes na taxa básica de juros do país, a Selic, hoje em 11 por cento ao ano.

"Não teremos nenhum problema com crédito no Brasil", disse Dilma, durante evento em Porto Alegre. "A nossa situação do crédito é uma situação extremamente vantajosa. Nós somos um país que é capaz de enfrentar o pior cenário".

Para tanto, Dilma citou bancos públicos "extremamente atuantes", bancos privados "sólidos" e instou que a população siga consumindo e que as empresas mantenham sua produção, a exemplo do que fez diversas vezes nas últimas semanas.

A presidente disse ainda que 2012 será um ano "muito melhor" que 2011 -para o próximo ano, apesar do cenário de crise internacional, o governo trabalha para que a economia brasileira cresça entre 4 e 5 ponto em 2012.

No terceiro trimestre deste ano, a economia brasileira ficou estagnada, já sentindo os reflexos da crise internacional. Mesmo assim, o governo tem dito que a economia já começou a se recuperar neste final de ano.

"A nossa situação de estabilidade macroeconômica e robustez fiscal vai permitir que a nossa política monetária continue sendo uma política monetária muito favorável ao país", disse a presidente nesta terça-feira.

(Por Hugo Bachega)

 

Fonte:
Reuters