A variação do Índice FipeZap em novembro foi de 1,4%, ante 1,6% visto em outubro.

O indicador vem desacelerando desde abril, quando registrou aumento de 2,7%.

No acumulado em 12 meses, o preço médio das sete regiões pesquisadas acelerou 27,6%, com Rio de Janeiro (+37%) e Recife (+29%) liderando a alta.

Em outubro, o aumento acumulado em 12 meses na capital fluminense era de 40%, outro sinal de desaceleração no mercado que acumula a maior alta em 2011 (+33%).

Na divisão por bairros, os maiores valores estavam no Leblon, onde o metro quadro anunciado ultrapassou R$ 17.000, seguido por Ipanema (R$ 15.012).

Já em São Paulo, a alta também foi inferior aos meses anteriores. O aumento mensal de 1,7% é o menor em 17 meses.

No acumulado do ano, os preços anunciados na capital paulista subiram em média 25% e, desde janeiro de 2008, a alta foi de 120%.

A região do Ibirapuera/Vila Nova Conceição manteve o posto de líder no preço por metro quadrado em R$ 9.354, seguida pelo Jardim Paulistano (R$ 9.182) e pela Chácara Itaim (R$ 8.031).

Os menores valores foram observados em Paraisópolis ao preço de R$ 2.607, Artur Alvim (R$ 2.736) e São Miguel Paulista (R$ 2.762).

Considerando os bairros pesquisados, o preço médio do metro quadrado em novembro ficou entre R$ 7.936 (Distrito Federal) e R$ 3.514 (Salvador). Em São Paulo, foi de R$ 5.984 e no Rio de Janeiro, R$ 7.341.

Na média das sete regiões, o valor do metro quadrado anunciado foi de R$ 6.120.

O indicador, desenvolvido pela Fipe, acompanha o preço médio do metro quadrado em seis municípios brasileiros e no Distrito Federal com base nos anúncios de apartamentos prontos do site Zap Imóveis.

 

Fonte:
Brasil Economico