Com a decisão tomada nesta quarta-feira (30) pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, de baixar a taxa básica de juros (a Selic) em 0,5 ponto percentual, o Brasil continua com os maiores juros reais do mundo.

Os juros reais descontam a inflação projetada para os próximos 12 meses. Fazendo essa conta, os juros básicos no Brasil ficam em 5,1% ao ano.

Em segundo, vem a Hungria, com taxa real de 2,5%. Em terceiro e quarto estão a Indonésia e o Chile, ambos com 1,5%. Na outra ponta da tabela está a Venezuela, que tem a menor taxa real de juros do mundo, com -7,4% ao ano.

No entanto, falando de juros nominais (que não descontam a inflação), a Venezuela tem a maior taxa do mundo, com 18,30%.

O Brasil vem em segundo no ranking dos juros nominais. A Argentina está em terceiro, com 9%.

O ranking foi elaborado pelo analista internacional da Apregoa.com – Cruzeiro do Sul, Jason Vieira, com a colaboração do analista de mercado da Weisul Agrícola, Thiago Davino. A pesquisa de juros reais não inclui todos os países do mundo, mas 40 economias relevantes.

 

Fonte:
Uol Economia