A agência de classificação de risco Standard and Poor's (S&P) anunciou nesta terça-feira (18) que reduziu a classificação de 24 bancos e instituições financeiras da Itália, incluindo o Banco Monte dei Paschi di Siena (BMPS) e Unione di Banche Italiane (UBI Banca).

Segundo a S&P,  as tensões no mercado e as sombrias perspectivas de crescimento geraram uma "deterioração" do contexto econômico para os bancos italianos, uma vez que os custos de refinanciamento "aumentarão significativamente" devido a alta das taxas obrigatórias.

"Além disso, esperamos maiores custos de financiamento para bancos e empresas, o que deverá resultar em condições de crédito mais apertadas e uma mais fraca atividade econômica no curto prazo e médio prazo", disse a agência, em comunicado. "Nós não acreditamos que este difícil clima operacional seja transitório ou que será facilmente revertido", acrescentou a S&P.

Para a agência, os custo do financiamento para os bancos italianos e empresas continuarão a ser sensivelmente superiores aos verificados em outros da zona do euro países, a menos que o governo italiano consiga implementar de uma maneira mais rápida medidas para reativar o crescimento econômico.

Ao mesmo tempo, a agência confirmou a classificação de 17 bancos italianos, entre eles os dois maiores bancos da península: Intesa Sanpaolo e UniCredit, que mantiveram a nota "A".

Com a revisão, 22 das 43 instituições financeiras italianas passam a ter perspectivas negativas na classificação da agência.

As agências Fitch e Moody's também reduziram a classificação da Itália e sancionaram vários bancos.

A Fitch reduziu a classificação de Intesa Sanpaolo, UBI Banca e BMPS, enquanto que a Moody's rediziu as notas de UniCredit e Intesa Sanpaolo.

 

Fonte:
G1