A taxa de juros de empréstimos para as famílias brasileiras caiu 0,6 ponto percentual em agosto e atingiu 39,9% ao ano, de acordo com relatório divulgado nesta quarta-feira (22) pelo Banco Central (BC). O índice é o mais baixo da série histórica iniciada em julho de 1994.

“O declínio da taxa de juros a pessoas físicas é explicado, principalmente, pela redução do custo relativo ao crédito consignado (com desconto na folha de pagamento) e pelo aumento da participação dessas operações na carteira de pessoas físicas”, explicou o BC em nota.

O BC ressaltou o desempenho dos empréstimos consignados entre pessoas físicas. A modalidade de crédito registrou crescimento de 3,1% no mês e 31,8% em 12 meses, passando a representar 60,7% da carteira de crédito pessoal, o que corresponde a R$ 129,7 bilhões.

Um dos setores que continua registrando alta expressiva no crédito é Habitação, com expansão de 3,9% em agosto sobre julho e de 51% em 12 meses, elevando o saldo para R$ 120,6 bilhões ou 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Fonte:
Abril