A economia da Itália contraiu-se em 2,4% no primeiro trimestre, mostraram dados divulgados nesta sexta-feira, no quarto declínio consecutivo e na maior queda trimestral desde o início da série histórica em 1980.

Os dados, que ficaram piores que o esperado, vieram após a queda de 2,1% no quatro trimestre e mostraram que a recessão na terceira maior economia da zona do euro está se aprofundando.

"A média para o ano vai ficar bastante ruim, nós provavelmente teremos uma grande contração, de cerca de 5%", disse Marco Valli do Unicredit MIB.

A agência oficial de estatísticas ISTAT divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país retraiu-se em 5,9% na comparação anual, também a maior baixa desde o início da série, após queda revisada de 3% no trimestre anterior.

A mediana das previsões de 31 analistas consultados pela Reuters apontou recuo de 1,8% na comparação trimestral e de 5% na comparação anual.

Mais cedo, a Alemanha, maior economia da zona do euro, divulgou contração recorde de 3,8% na comparação trimestral e a França, segunda maior economia do bloco, retração de 1,2%.

Também nesta sexta-feira, a agência de estatísticas Eurostat informou que a economia da zona do euro retraiu-se em 2,5% no primeiro trimestre, mais que o esperado.

"Eu acho que nós atingimos o fundo do poço no primeiro trimestre, com as pesquisas de confiança começando a se recuperar em abril. Nós teremos uma nova queda do PIB no segundo trimestre, mas não tão acentuada quanto a que vimos no primeiro trimestre", disse Guillaume Menuet do Bank of America.

Fonte:
Invertia