O investimento estrangeiro direto no Brasil totalizou US$ 5,342 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o que representa uma queda de 39,2% em relação ao mesmo período de 2008 (US$ 8,799 bilhões), informou nesta quarta-feira (22) o Banco Central.

Entre janeiro e março deste ano, os investimentos estrangeiros em projetos produtivos no Brasil, prejudicados pela crise internacional global, foram os menores no período desde 2006 (US$ 3,980 bilhões), segundo dados do BC.


Os números se agravaram em março, quando o fluxo direto de capitais foi de US$ 1,444 bilhão, inferior ao de US$ 3,083 bilhões regitrado no mesmo mês do ano passado e o pior registrado no mês desde 2005 (US$ 1,390 bilhão).

O Brasil, um dos países emergentes que mais atraiu investimento estrangeiro direto no ano passado, recebeu em 2008 o equivalente a US$ 45,060 bilhões, sobretudo nos três primeiros trimestres, antes do agravamento da crise.

A previsão do BC para este ano é que esse valor caia quase pela metade, para cerca de US$ 25 bilhões.

O investimento estrangeiro acumulado no Brasil entre março de 2008 e o mesmo mês de 2009 foi de US$ 41,601 bilhões, valor equivalente a 2,88% do Produto Interno Bruto (PIB).

Apesar da queda dos investimentos externos em projetos produtivos, o fluxo de capital para a compra de ações e títulos públicos cresceu. Em março, o saldo entre a entrada e a saída de dólares nos mercados financeiros foi positivo em US$ 481 milhões.

No entanto, o Brasil fechou o primeiro trimestre do ano com um saldo negativo de US$ 3,498 bilhões na balança de capitais aplicados em ações e títulos, contra o saldo positivo de US$ 6,2 bilhões em ingual período de 2008.

Fonte:
Abril.com