Jornal do Brasil - Economia | Estadão

Bolsas da Europa fecham em alta, com sinal positivo dos EUA e ajuda do câmbio

As bolsas europeias fecharam com ganhos nesta sexta-feira, 4. O relatório de empregos dos Estados Unidos (payroll) foi visto como um sinal positivo da economia americana. Além disso, o euro se desvalorizou durante o pregão, o que ajuda as exportadoras do continente, com notícias corporativas e a alta do petróleo também no radar.

O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 0,59%, a 386,88 pontos, e avançou 0,58% na semana.

Os EUA geraram 164 mil vagas em abril, abaixo dos 175 mil previsto pelos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. A taxa de desemprego, por outro lado, caiu de 4,1% a 3,9%, na mínima desde dezembro de 2000. Analista na IG, Chris Beauchamp disse que as ações reagiram bem em geral ao dado, com a avaliação de que a economia dos EUA "caminha na direção certa".

Na própria Europa, as vendas no varejo da zona do euro tiveram alta de 0,1% em março ante fevereiro, abaixo da previsão de +0,4% dos analistas. O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da região caiu de 55,2 em março a 55,1 em abril, na mínima desde o início de 2017, quando analistas previam estabilidade.

No câmbio, o euro se enfraqueceu durante a sessão, o que beneficia os papéis de exportadoras da região da moeda comum. Além disso, a alta do petróleo durante o pregão apoiou ações do setor de energia.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou com ganho de 0,86%, a 7.567,14 pontos, e na semana subiu 0,87%. Entre as ações em destaque, Pearson teve alta de 7,7%, após balanço considerado sólido. A controladora da British Airways, a IAG, subiu 5,8%, também após resultados trimestrais que agradaram.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,02%, a 12.819,60 pontos, e ganhou 1,90% na comparação semanal. No setor de energia, E.ON subiu 1,92%, enquanto entre os bancos Deutsche Bank e Commerzbank tiveram altas de 1,82% e 0,97%, respectivamente.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 0,26%, a 5.516,05 pontos, e na semana ganhou 0,60%. Air France-KLM recuou 2,9%, após mudar sua perspectiva de resultados para este ano, e Société Générale cedeu 5,17%, depois de um balanço que desagradou por mostrar queda na receita geral e no setor de banco de investimentos. Por outro lado, Crédit Agricole subiu 0,37%, Total ganhou 0,95% e Peugeot, 1,49%.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB avançou 1,12%, a 24.335,02 pontos, e na semana subiu 1,70%. Entre os papéis mais negociados, Telecom Italia ganhou 2,15% e Fiat Chrysler, 3,24%. A petroleira Eni subiu 1,38%, enquanto o banco UniCredit avançou 0,57%.

Em Madri, o IBEX-35 subiu 0,65%, a 10.104,10 pontos, e na semana teve alta de 1,80%. Santander subiu 0,75%, no setor bancário, enquanto Iberdrola avançou 0,83%, no setor de energia. Repsol ganhou 0,72%.

Na Bolsa de Lisboa, o PSI-20 subiu 0,02%, a 5.487,79 pontos, mas recuou 0,72% na comparação semanal. Nesta sexta, Banco Comercial Português subiu 0,40% e Galp Energia, 1,35%, mas Ibersol recuou 0,89% e Sonae Capital perdeu 0,40%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Fonte: http://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/05/04/bolsas-da-europa-fecham-em-alta-com-sinal-positivo-dos-eua-e-ajuda-do-cambio/