Jornal do Brasil - Internacional | Agência ANSA: 08/02 às 18h28 - Atualizada em 08/02 às 18h44

Ministro admite venda da Alitalia só após eleições

Carlo Calenda está "menos otimista" sobre conclusão rápida

O ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Carlo Calenda, admitiu nesta quinta-feira (8) que a venda da maior companhia aérea do país, a Alitalia, não deve ser concluída antes das eleições legislativas de 4 de março.

Em entrevista à emissora "Sky", Calenda disse que está "menos otimista" quanto à possibilidade de fechar as negociações nas próximas quatro semanas. "Colocarei todo o meu empenho para concluir antes das eleições. O calendário eleitoral é indiferente para mim, mas não para os investidores, que deram um passo para trás para ver o resultado das eleições", afirmou.

Ao todo, três grupos estão na briga pela Alitalia: a alemã Lufthansa, a britânica EasyJet e o fundo norte-americano Cerberus. A empresa italiana pediu intervenção do governo no primeiro semestre de 2017, após ter ficado insolvente, e continua operando graças a dois empréstimos públicos que totalizam 900 milhões de euros.

Se não for vendida, a Alitalia correrá o risco de entrar em falência. 

Fonte: http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2018/02/08/ministro-admite-venda-da-alitalia-so-apos-eleicoes/