Jornal do Brasil / Agência ANSA - 12 de junho de 2017

Eleições na Itália viram disputa entre direita e esquerda

Sigla antissistema M5S ficou fora da disputa das maiores cidades

As eleições municipais na Itália, realizadas neste domingo (11), fez com que os italianos voltassem a colocar frente a frente os candidatos de centro-direita e centro-esquerda.

Nas principais cidades, os italianos optaram por não votar no maior partido opositor do país, o Movimento Cinco Estrelas (M5S), e deixaram a sigla de Beppe Grillo de fora da disputa. 

No ano passado, durante as eleições municipais que envolveram Roma e Turim, o partido antissistema tinha conquistado as duas prefeituras.    

Com isso, o segundo turno nas capitais de províncias e regiões, que será disputado no dia 25 de junho, ficará mesmo entre as "tradicionais" siglas italianas.    

O único prefeito que conseguiu se reeleger em primeiro turno foi o atual líder de Palermo, Leoluca Orlando, que representa a centro-esquerda. Ele obteve 46,3% dos votos e, por conta da lei diferenciada na região, já foi reeleito.    

Em Gênova, cidade-natal de Grillo, a disputa no segundo turno ficará entre Marco Bucci, da centro-direita, teve 38,8% dos votos e Gianni Crivello, da centro-esquerda, teve 33,39%. Em Verona, Federico Sboarina, de centro-esquerda, teve 29,26% dos votos contra 23,54% de Patrizia Bisinella, de centro.    

Já em Parma, Federico Pizzarotti, da Lista Cívica, teve 34,78% dos votos contra 32,73% de Paolo Scarpa, que representou a centro-esquerda. Neste caso, a vitória de Pizzarotti tem um gosto ainda mais amargo para o M5S, já que o candidato foi expulso da sigla por Grillo.    

Em Áquila, Americo Di Benedetto, de centro-esquerda, quase conseguiu se eleger em primeiro turno, obtendo 47,18% dos votos.    

No entanto, como não ultrapassou a cifra de 50% mais um, terá que disputar o segundo turno com Pierluigi Bondi, de centro-direita, que teve 35,88%.    

Apesar de não ter finalizado a contagem dos votos, a cidade de Catanzaro terá segundo turno entre Sergio Abramo, de centro-direita, que obteve 39,89% dos votos, e Vincenzo Ciconte, de centro-esquerda, que teve 30,85%.    

A única cidade maior que terá segundo turno com um candidato do M5S é Carrara, onde Francesco de Pasquale enfrentará Andrea Zanetti, de centro-esquerda.    

Ao todo, 1.004 cidades tiveram eleições neste fim de semana, sendo que em pouco mais de 170 haverá segundo turno. A afluência do pleito ficou em 60,07%, abaixo do registrado nas eleições municipais do ano passado, que tiveram 66,85% - mas o pleito foi em dois dias. 

Fonte: http://www.jb.com.br/internacional/noticias/2017/06/12/eleicoes-na-italia-viram-disputa-entre-direita-e-esquerda/