Bolsa de Valores italiana teve maior queda de sua história

    - Após a notícia de que os britânicos decidiram deixar a União Europeia, o chamado "Brexit", as Bolsas de Valores de todo o mundo apresentaram fortes quedas e geraram muita insegurança nos mercados financeiros.
    A Bolsa de Milão teve sua maior queda na história, superando a quebra do banco Lehman Brothers (2008) e o ataque terrorista às Torres Gêmeas, em 2001. O índice FTSE-Mib fechou com retração de 12,48%, em 15.723 pontos, o que representou a "queima" de cerca de 61 bilhões de euros.
    Quem também registrou a maior queda da história foi o mercado de Madri, que teve queda de 12,35%. No epicentro do caso, a Bolsa de Londres registrou queda de 3,2%, a de Frankfurt caiu 6,82% e a de Paris retraiu 8,04%. O índice em Lisboa retraiu 6,99%.
    Além dos pregões europeus, as bolsas asiáticas também tiveram fortes quedas, especialmente no Japão, onde a perda foi de 7,92%. China (-1,33%), Hong Kong (-2,92%) e Austrália (-3,17%) acompanhar as quedas.
    Nos Estados Unidos, os mercados também acumulavam perdas: o índice Dow Jones fechou em queda de 3,38%, o pior desde 2011, e a Nasdaq, de quase 4%. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo chegou a cair 5%, mas se manteve entre os 2% e 3% negativos durante o dia.
    Na questão de moedas, na Europa, a libra esterlina apresentou sua maior queda desde 1985 e caiu para 1,3228 perante ao dólar.
    No Brasil, a moeda apresenta queda de 7,7% e atingiu R$ 4,61 por volta das 17h. 

Fonte: Agência ANSA